19 de janeiro de 2014

A MENTALIZAR UMA CASA NOVA





Hoje gastei os minutos online a ver casas. Estou a inspirar-me para a decoração da casa à beira mar que coloquei nos objectivos de 2014. Ainda está para vir, mas não é que já esteve quase a acontecer? Quase, bem, quase quase, mas não era bem. Era uma aproximação, tinha vista rio, e era melhor do que eu tinha imaginado. Na verdade ainda estou na esperança que venha a ser nossa, porque a quisemos com muita força, mas se não chegar deve haver uma razão muito forte... a vizinha de cima pode ser psicopata, ou então há uma casa muuuuito melhor à nossa espera. Qualquer das formas  este ano temos que sair de onde estamos, dê por onde der. A nossa casa é encantadora, é um facto, e é grande, e está a um passo do Chiado, mas as casas antigas têm os seus quês. A fina camada de reforma que levou para poder ser alugada a um preço melhor, está a começar a estalar por todos os lados. Cada dia que passa encontro um defeito maior, e com o cansaço tudo se amplia. Esta semana já me irritei com uma inundação na casa de banho, com uma canalização entupida na máquina de lavar a roupa, com diversas infiltrações que se multiplicaram com a chuva, e com o frio constante que entra por todas as portas e janelas. Esta casa é um "sugador" de aquecimento. Além disso o barulho dos bares, as festas nocturnas todos os fins de semana, o mau gosto musical do vizinho de baixo, as discussões dos vizinhos de trás, os passos dos de cima…tudo se vai somando numa lista interminável e estou sem saco. Preciso de paz e sossego numa casa normal, onde a Zola possa dormir sem acordar com as buzinas de um canalha qualquer às 2h da manhã…todas estas coisas contam. Para além de que nós não merecemos menos que a casa com vista para o mar.

Sem comentários:

Enviar um comentário