31 de janeiro de 2014

ZOLA LOVE

Manuel Portugal, és o maior a tirar fotografias.

Minha querida punk Zola,

sono é um conceito que ainda não compreendeste. Desde que te conhecemos já tentámos acender a máquina de lavar a loiça com um fósforo, colocámos gel para lavar as mãos na escova de dentes, já arrumámos loiça suja no armário, enfim, uma panóplia de actividades estranhas que nunca passariam na cabeça de um ser humano mentalmente estável. Porque temos sono (e tu não). Desde que te conhecemos que a nossa vida ficou de pernas para o ar, estamos mais cansados, raramente temos tempo para nós, és realmente um pequeno furacão. Às vezes olho para o aspecto da nossa sala, e vejo a rebaldaria que impera nas nossas colecções (até hoje intocáveis) de cd's, dvd's, revistas e livros, que tu tentas afincadamente comer, e fico a pensar no que mudou. Porque é que um ser de 60cm tem o meu consentimento para remexer nos pequenos tesouros familiares, que tanto tempo e dedicação levam a coleccionar, é uma coisa que nunca conseguirei responder. Hoje quando tentaste pentear o teu cabelo com a escova ao contrário, até fiquei comovida. Estás muito crescida. Prometo-te uma coisa, se começares a respirar normalmente, sem coisas nos brônquios, tosses horríveis, falta de ar, sem vomitar, e ficares boa depressa, podes não só continuar a maltratar os dvd's como também terás direito a brincar com o telemóvel quando quiseres. E com o comando da televisão e com o porta-chaves. Boa? Vamos a isso.

Tua querida, R.

2 comentários: