2 de junho de 2014

A TRANSITORIEDADE NA REPÚBLICA DAS BANANAS

Depois da saga na Loja do Cidadão, com 100 pessoas à minha frente, decidi optar por um agendamento. Primeiro passo, encontrar as instrucções nos sites labirínticos do Portal do Cidadão. Ao fim de 10 minutos encontrei o número de telefone para proceder à marcação do agendamento, liguei e a senhora-automática-das-mensagens disse-me que a linha estava muito cheia e se quisesse poderia aguardar 15 minutos ao telefone ou tentar mais tarde. Decidi tentar mais tarde e continuei a investigar alternativas: email. Enviei um email a agendar a marcação, com tudo direitinho e em 2 minutos recebi uma resposta que começa assim "Os pedidos de agendamento por email atingiram um volume de tal maneira elevado que, transitoriamente, estes serviços não conseguem assegurar a resposta com a celeridade desejada." Portanto decidi tentar novamente o telemóvel, e agora estou a ouvir música clássica. O problema disto tudo é que preciso de dar continuidade ao processo o mais rapidamente possível, porque a verdadeira necessidade é conseguir um dístico de morador para o automóvel. Enquanto isso vamos levando multas da Emel… Espectacular, não é? 

Sem comentários:

Enviar um comentário