28 de agosto de 2014

RECADO A MORPHEUS

Morpheus e Iris, Guerin Pierre Narcisse /1811
Querido Morpheus,

conheci-te ontem e hoje já sou tua fervorosa devota. Antes de adormecer falei alto, e fiz uma prece simples: "querido deus do sono, permite-me dormir enquanto ela dorme". O Manel disse logo que o deus do sono era o Morpheus, ao que eu respondi como-é-que sabes-essas-coisas, ao que ele respondeu eu-sei-tudo, adiante, era mesmo verdade, afinal existes, não és fruto da minha necessidade imaginária. E o que se passou a seguir só pode mesmo ter sido obra tua, porque tivemos uma noite de sono como já não tínhamos há algum tempo. Só nos levantamos 3 ou 4 vezes =) e por pouco tempo. Pelos vistos decidiste abençoar os nossos sonhos, por isso o post de hoje é em tua homenagem. Parece-me que na pintura te faltam as asas, e estás com um look um bocadinho andrógino, mas deve ter sido bizarria do artista. Além disso pouco importa, considera este blog um altar dedicado à tua plena devoção (pelo menos enquanto cumprires a tua função divina e fizeres magia). Obrigada por andares por aqui (estás à vontade para pernoitar, o sofá é teu e o colchão tripartido também)

Tua fã número 1,
Mexicola

Sem comentários:

Enviar um comentário