26 de agosto de 2014

REVOLUÇÕES POR MINUTO







Aqui há uns tempos falei de novos projectos que estavam na calha, e até disse que a aventura ia começar no terreno. Pois bem, depois da viagem aos Picos da Europa, que foi a minha segunda aventura de moto, aqui está a terceira: é uma aventura de moto à mesma, mas em vez de ser à pendura, é ao volante do projecto gráfico da REV (aqui pode soar a orquestra). A REV é um projecto já com 22 edições, não é propriamente uma revista bebé, já vinha cheia de identidade e com hordas de fãs aguerridos, por isso eu sabia que tinha uma grande responsabilidade em mãos. Quem escreve na REV tem muita experiência no assunto, e quem fotografa na REV fá-lo como tubarão na água (ultrapassa portanto o peixinho na água, não sei se me faço entender). Não foi uma surpresa perceber que desenhar esta revista me estava a dar muito gozo a nível profissional, as páginas brancas foram telas para a minha imaginação e a liberdade associada ao projecto fez com que deixasse a criatividade acelerar à vontade. Depois de ter trabalhado no jornal i, um universo de ideias, e numa revista de moda e lifestyle mais artística que o habitual, nunca na vida me passou pela cabeça que viria a desenhar uma revista de e para motociclistas. E com tanto carisma. Sendo que, até à data, a minha experiência na área foi apenas de ir à pendura, posso dizer que estou muito satisfeita com o resultado. Ficam dois ou três flashes do que é a REV por dentro, tanta ou mais personalidade que algumas revistas de nariz arrebitado. Esta edição já está nas bancas.

Curiosidade: REV, assim baptizada porque os manómetros das motas dizem revolutions per minute (frequência de rotação), inspirada em revolução e em rêve (sonho). Genial, não é?

Sem comentários:

Enviar um comentário