4 de dezembro de 2014

DIA DE MAR


Ora bem, hoje foi dia de aula de surf. Definitivamente, ou a minha assiduidade aumenta ou então aprendo a surfar lá para 2034. Vejamos a tabela de números:
> take off's da prancha - 5
> quedas da prancha - 17
> enrolamento nas ondas - 24
> vezes que pus realmente os pés na prancha - 2 (e foi só a ponta do dedo grande, durante 3 seg.)

Juro que ia continuar afincadamente a remar contra as ondas e avançar um metro a cada 5 minutos, mas houve um momento charneira que me impediu de continuar a lutar no sentido da vitória, que foi quando a prancha me escorregou da barriga, voou em todas as direcções e aterrou de quilha em cheio no meu tornozelo, enquanto eu tentava perceber onde é que estava a tona de água. Saí do mar a coxear e a sentir-me muito fraquinha e pateta, depois disso ainda me senti tonta e em seguida decidi tirar o fato e ir beber café antes de voltar ao trabalho. Quando estava no carro vi um senhor, alemão, com várias escoriações. Tinha a cara tipo bolo. Bolo-rei. Pareceu-me que tinha levado com as quilhas todas na cara. Fiquei contente de só ter um calcanhar de Aquiles negro (felizmente estava de botas, senão tinha ficado sem tornozelo) e tentei indicar, sem êxito, um posto de primeiros socorros. Depois fiquei a pensar que tenho muito treino pela frente e o melhor é começar a ir de armadura. Surf não é para leigos. Ufa.

3 comentários:

  1. tão bom (surfar) não as consequencias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aprender a surfar sabe bem, mas surfar realmente deve ser mesmo do caraças! ansiosa pelo dia :)

      Eliminar
  2. Que coragem! Parabéns! Miss Caco é mais bolos... :-)

    ResponderEliminar