30 de dezembro de 2014

MAIS UM TÓPICO PARA A ANTI-LISTA

Ontem, à hora de jantar, saímos para comer um crepe. Eram cerca de 21h30. Escolhi entre duas mesas livres, a que estava ao pé da janela. Ainda tínhamos sidra no copo, e chá na chávena, quando olhei pela janela e vi um carro mal estacionado, com uma mesa ao pé da bagageira. De repente começam a juntar-se pessoas à volta da mesa e até mandei uma laracha e disse ao Manel "olha estão ali a vender droga". Eu vejo muito mal, mas ele, como vê muito bem, disse-me que aquilo era a distribuição de sopa dos pobres. Choquei de frente com a realidade. Estavam daqueles "10ºC but it feels like 2ºC", e naquele momento pareceram-me -20ºC na rua. Olhei mais uma ou duas vezes pela janela, deu-me uma dor no coração e tivemos que sair do restaurante porque não aguentei mais. Já é a segunda vez na vida que me acontece uma coisa assim. Da primeira comecei a chorar, no meio de uma cerimónia, e ontem tive que fazer um esforço para mastigar e engolir aquela bola de palha seca.

Tópico 15. da anti-lista (que é o post exactamente abaixo deste) - de repente, todos os seres humanos deveriam ter direito a condições mínimas de existência. E palmas para quem estava lá a fazer aquele trabalho e a acompanhar aquelas pessoas.

Bom dia mundo! Uff, sou tão fraquinha para ti.

2 comentários:

  1. ainda bem que alguém tem gestos desses que tocam uns e salvam outros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tenho que pensar seriamente em voluntariado...

      Eliminar