20 de março de 2015

E NO ENTANTO ELA MOVE-SE

Sem café, nada. Imagem daqui.

Hoje começa a Primavera, é dia de eclipse, as marés ficam mais altas, por isso de certeza que acontecem uma série de movimentos importantes no cosmos que afectam a lei natural das coisas no planeta azul.
Há muitas coisas que permanecem secretas na natureza e continuam sem explicação há milhares e milhares de anos. O porquê de alguns bebés não dormirem à noite é uma delas, e de certeza terá a sua relação com estes mistérios. A punk Zola já fez dois anos. Esta noite, entre as 2h e as 5h fomos ao quarto dela umas 4 ou 5 vezes. Sinceramente, pensei que já tínhamos ultrapassado este obstáculo, porque entre Janeiro e finais de Fevereiro começou a dormir noites inteiras (isto durou quase dois meses). Mas há uns 15 dias que voltou a ser quem era: uma autêntica sirene nocturna.
Tenho vindo a esticar a esperança, que é a última a desvanecer-se, que de um momento para o outro ela comece a dormir durante a noite, qual Cinderela encantada.

Já tive diferentes crenças. Primeira: quando passarem as cólicas isto muda, segunda: quando for para a creche isto muda, terceira: quando começar a beber biberão de leite isto muda, quarta: quando começar a andar  talvez isto mude, quinta: quando for para o quarto dela de certeza que muda, sexta: quando fizer dois anos não há hipótese, tem que mudar. E agora? Dois anos e afinal não mudou... talvez esteja na hora de apelar a outros deuses, de acender outras velas, sei lá.

As estratégias que testámos são muitas, nem vale a pena enumerar de tão chato que isto é, mas desde livros com dicas, a terapeutas, passando pela sabedoria popular e alguma criatividade, não há teorias não experimentadas nesta casa.

Enquanto isso eu vou fazendo coisas tão descabidas como arrumar loiça suja nos armários ou esquecer-me das chaves dentro de casa. Até já caí a levantar-me da cadeira, estatelei-me no chão, sem razão. As minhas defesas ficam tão em baixo de forma que apanho todo o tipo de alergias, eczemas, gripes, constipações, febres e agora também enxaquecas. A minha tolerância para as contrariedades decaíu uns 87% e o índice de irritação inflacionou a par do preço do crude. Ou seja, há dias em que estou de rastos porque não durmo, nem sei como é que consigo escrever textos tão compridos. As minhas amigas dizem que não sabem como é que aguentamos. A resposta é não aguentamos, ficamos cansados, temos que ceder, alterar a rotina, fazer sestas.

Apesar de tudo isto ela move-se. Não sei como, porque também não dorme. Acorda de manhã para ir para a escola, depois de uns minutos de ritual punk-birrento fica bem disposta, faz as actividades todas na creche, ainda se exercita no parque ao fim do dia, raramente fica doente, é incrível mas real, há ali energia. Se isto não é um mistério do cosmos, não sei o que é.
Filha, toda a fé flutuante que possa existir no cosmos, eu tenho-a em ti. Vais dormir, ai vais-vais.

6 comentários:

  1. Calma. Há de passar. Quando não sei, mas há de. Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Boneca, espero que seja entretanto, senão dá-me um colapso. =S

      Eliminar
  2. As crianças tem esses mistérios... Eu também tinha noites muito dificeis, e levei os meus pais ao desespero, não sei bem ao certo, mas eles começaram a seguir a sabedoria popular, e acho que ajudou... Hoje em dia gosto de dormir e faço-o como um bebé!!!
    Tenta ter calma e fé... Isso vai passar!

    Bjxxx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Isy! A uma certa altura em que começamos a olhar para o calendário e a ver que não dormimos uma única noite, começa a ser assustador, mas sim estou com esperança que seja em breve =).

      Eliminar
  3. E dar-lhe um anti estaminico(zinho)? Não vai a bem vai a mal.

    ResponderEliminar