23 de abril de 2015

TREINAR TREMER ESCREVER




Novo desafio! Este aniversário recebi três canetas novas muito especiais. Gosto muito de caligrafia espectacular mas cada vez escrevo menos à mão. Em breve as canetas serão raras. A minha caligrafia que até era característica foi ficando cada vez pior, mais riscada, preguiçosa e difícil de ler. Para escrever à mão com uma letra bonita é preciso tempo, e esse sim é um bem escasso, por isso acho que  o mais natural é a caligrafia tornar-se uma forma de arte mais e mais adorada, porque vão ser poucos a dominar com mestria uma ferramenta tão simples como uma caneta.

Na fotografia está o meu primeiro abecedário, como se tivesse voltado à escola primária e aos cadernos de duas linhas. Pela tremedeira está visto que tenho muitas horas de treino pela frente, porque aquilo está longe de lindo, mas a ideia é aproveitar cada recado, cada morada num envelope, cada formulário das finanças, cada apontamento num post-it para praticar. Até acabar a tinta e me transformar numa expert.


6 comentários:

  1. Estou na mesma. Sempre que tenho de escrever algo à mão, apercebo-me de que já não é tão fácil como, supostamente, deveria ser. E a minha letra também está cada vez pior. Uma vergonha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se nós estamos assim nem quero imaginar a geração "tecla".

      Eliminar
  2. Estou na mesma. Sempre que tenho de escrever algo à mão, apercebo-me de que já não é tão fácil como, supostamente, deveria ser. E a minha letra também está cada vez pior. Uma vergonha...

    ResponderEliminar
  3. Eu cá acho que está lindo. Mesmo. Faz isso numa folha maior e vais ver se não ponho na minha parede.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queres o abecedário todo ou só o monograma da família?

      Eliminar