8 de julho de 2015

DIA ASSIM ASSIM



Ouvir música deixa-me às vezes muito bem-disposta, outras vezes muito pensativa. Estava para aqui a pensar que a capacidade de os seres humanos fazerem música hipnotizante e se expressarem de forma emotiva noutras áreas é das poucas coisas que os salva de serem...nem tenho coragem de procurar o adjectivo. Estava embalada, mas assustei-me.
Depois voltei ao pensamento de sempre, como teria sido feliz a cantar numa banda destas ou a dançar, ou a fazer música. Não sei porque é que nunca pus essa possibilidade em cima da mesa, se calhar achei que não ia dar em nada. Acho que a correria dos dias nos afasta dessas opções. Mas o facto de apreciarmos muito o que os outros fazem bem, está a milhas de significar que nós também o poderíamos fazer bem. Deve ter sido por isso que me fiquei na plateia a ser uma muito boa apreciadora de coisas. Vou trabalhar. É melhor. Contribuir para o pib. Deixa lá essa coisa da música agora, ouves logo. (A voz da consciência devia ter volume controlável. Ou mesmo MUTE).

--------

Entretanto o Vincent Van Gogh disse-me numa frase porque é que estou errada:


"Se ouvires uma voz no teu interior que diz "não és um pintor", 
então pinta de todos os modos e essa voz silencia-se."


Sem comentários:

Enviar um comentário