7 de abril de 2016

MAMÃ, ESTÁ UM MONSTRO NO SOFÁ


Esta semana, à hora do lanche, entre duas colheradas de papa, a punk Zola olhou por cima do ombro, em direcção ao sofá e disse muito calmamente, enquanto engolia em seco: "Mamã, está um monstro no sofá." Eu olhei para o sofá e disse-lhe que não estava a ver nada, não havia ali monstro nenhum. Ela voltou a insistir e disse-me para ralhar com ele, para o mandar embora.
Como a história já era repetida, em vez de ter uma conversa imaginária com o monstro, decidi mudar de estratégia e pedi-lhe para desenhar o monstro. Ela desenhou-o a preto e branco, "com pernas largas". Depois disse-lhe que tinha uma coisa maravilhosa para manter os monstros afastados: um spray anti-monstro (um spray perfumado para a casa da Designers Guild). Borrifámos a sala toda com o spray anti-monstro, abrimos a janela e esperámos que ele se escapulisse antes de ser aniquilado pela nossa arma secreta.
A punk Zola continou a comer a papa tranquilamente. Passados 3 minutos olhou para os pés da cadeira onde estava sentada e disse-me baixinho: "Mamã, está aqui o filho."
Afinal o monstro deu de frosques mas esqueceu-se do filho debaixo da mesa. Às vezes penso que aguçamos demais a criatividade desta miúda.


2 comentários: